domingo, 20 de março de 2011

Ritmos Chilenos - Cueca a Los Prisioneros

O melhor de se conhecer um país diferente é poder trazer consigo um pouco da alma de cada nova cultura. A música ajuda muito nessa imersão.

Olá, pessoal!  Eu sou adepta ao pensamento de que não basta conhecer um novo país. O interessante mesmo é voltar para casa trazendo um pouco da alma de cada lugar em que se vai. E a música faz parte disso. Pensando nisso, preparei um resumo sobre a história da música no Chile.

Cueca

Até parece que é fácil assim(não me lembro de onde tirei essa fig.)!

Esse é o nome do “baile oficial do Chile”. A Cueca é cantada e dançada. O ritmo surgiu no século 19, quando os camponeses se reuniam para cantar, dançar e conversar sobre as angústias da vida no campo. Ela também representa o homem conquistando a mulher. Quando chegou às grandes cidades, as letras da Cueca passaram a refletir mais sobre o cotidiano urbano. Nessa época ela ficou conhecida como Cueca Urbana, Cueca Brava ou Chilenera. Hoje, esse baile é considerado um ícone no Chile e é visto, sobretudo, em apresentações folclóricas. Como esta que fui, na Plaza de Armas, em Santiago:

video

Nueva Canción

Lembram-se do Tropicalismo, movimento que consagrou Caetano Veloso e Gilberto Gil?  Pois é, ele surgiu no mesmo contexto da Nueva Canción, ou seja, a ditadura. Nas décadas de 1960 e 1970, o Chile vivia um momento de transição política muito importante. O presidente comunista Salvador Allende defendia a igualdade social, mas, em 1973, a direita (elite, sobretudo) se uniu a alguns militares e deu-se o Golpe de Estado que pôs Augusto Pinochet no poder. No meio dessa confusão toda, cantores se reuniam, em um movimento espontâneo, para contestar o regime através da música. Violeta Parra e Victor Jara são uns dos cantores mais conhecidos da época.

Nas letras do Nueva Canción sempre haviam mensagens de protesto contra a ditadura. 

Nueva Ola e o Rock Chileno

Esse movimento começou paralelo ao Nueva Canción, mas explodiu mesmo na década de 1980. O Nueva Ola representava o rock and roll norte-americano chegando ao extremo sul do mundo! As bandas daqueeeela época fazem sucesso até hoje e seus hits são cantados até hoje, no Chile, pelos jovens. Lembro-me de que quando eu e minhas amigas brasileiras enchíamos muito o saco dos nossos colegas chilenos, eles cantavam para gente “Porque no se van, no se van del país?” ¬¬... Esse, por acaso, é o nome de uma canção de Los Prisioneros. Outras bandas clássicas do rock chileno são Los Bunkers e Los Tres.

Esse hit de Los Prisioneros é uma crítica à quem adora falar mal do próprio país e enaltecer a cultura europeia e dos EUA.

Bom, ainda resta falar sobre a música que se escuta hoje em dia no Chile. Ficou curioso? Então, aguarde que na próxima semana tem mais!

Um comentário:

  1. Marcelita, parabéns pela iniciativa. Só peço para ficar atenta a alguns detalhes, pois os leitores podem ser induzidos a erro. Por ex você escreve que cantores se reuniam "para contestar o regime através da música. Violeta Parra e Victor Jara são uns dos cantores mais conhecidos da época". Fica a impressão que a Viola Chilensis foi contestatária ao regime de Pinochet, o qual é inexato, pois ela suicidou-se em 1967, ou seja uns 6 anos antes do golpe militar. Só no intuito de contribuir, um grande abraço.
    BENITO OLIVARES AGUILERA
    Professor Depto. Estatística
    Universidade Federal do Paraná
    benitoag@ufpr.br

    ResponderExcluir

Gostou do Blog? Quer mais dicas para conhecer o Chile? Eri un chileno y te ha gustado - o no lo - que escribí? Deixe sua opnião!